CÂNCER - MAMÃE QUERIDA, MEU CORAÇÃO, POR TI, BATE-BATE...

Olá, Guerreiros da Luz! Todos bem?



Na semana anterior, falamos a respeito de do polêmico signo de Gêmeos. Suas habilidades e facilidades – e também seus defeitos. Agora que saímos do final da primavera, entramos no verão e, com ele, entramos num novo signo da roda zodiacal. E este é Câncer – A Grande Mãe.


Mas, antes de darmos continuidade na Roda Zodiacal, é preciso lembra-los que, para quem realmente se interessa na Astrologia Hermética como um meio de autoconhecimento e desenvolvimento do Eu Superior, você pode adquirir o Mapa Astral mais completo do mercado esotérico. O GRANDE SIGILO HERMÉTICO – O Guia Espiritual para a Alma do Buscador, você pode obtê-lo clicando AQUI.



Saímos do último estágio da primavera e, portanto, entramos no primeiro estágio do verão. Esse período era marcado pelas Cheias do Rio Nilo, onde o solo ficava cheio de nutrientes e irrigado. Neste solo fértil, o Lagostim era o animal mais recorrente neste período. (Sério, havia uma verdadeira invasão dos lagostins nas Cheias do Nilo). E, por conta disso, esse fruto do mar tornou-se o símbolo vigente que marcava este período. Por isso, o lagostim era o símbolo oficial de Câncer, mas com o passar dos anos, Câncer se tornou um caranguejo (que também invadia as terras no início do verão). Por esta razão que o hieróglifo de Câncer são dois peixinhos entrelaçados.


Se considerarmos que Câncer vem nove meses antes do primeiro signo (Áries, símbolo do nascimento), compreendemos melhor o seu significado essencial, que é a Fecundação, a Concepção. Para sermos mais exatos, Câncer corresponde ao momento da formação dos grãos; a seiva vegetal, em seu apogeu, vem nutrir os tecidos da vida e da natureza em plena fecundidade.


De acordo com o hermetismo, a energia de Câncer é a da Água Cardinal. Como dito anteriormente, Água representa o mundo emocional, as emoções, os sentimentos e instintos. Cardinal é o Fogo do Espírito. Juntando essas duas energias, temos uma água quente (ou Água dentro do Fogo). Assim, quando é falado “Cardinal” a palavra-chave é Avanço. Ou seja, essa é a energia de avanço nas questões emocionais.


Na ótica do Tarot, Câncer está atrelado com o Arcano do Carro ou da Carroça Cigana. Este Arcano, dentro da Árvore da Vida, é o Caminho de CHET (lê-se het, com som de dois rr), que conecta a Disciplina (Geburah/Marte) à Responsabilidade (Binah/Saturno). Essa palavra em hebraico significa literalmente CERCA. Essa Cerca é aquela que fecha o território, delimita o espaço somente para aqueles que têm acesso – a tribo, a família, o clã, os filhos... Justamente por isso, Câncer é considerada a Mãe do Zodíaco.


Essa energia de Câncer, como dito antes, é a energia da mãe, daquela que cuida dos filhotes. Não precisa necessariamente ser filhos, mas pode ser animal, como os cachorrinhos, os gatinhos, aves, enfim, tudo aquilo que está sob sua tutela. Alegoricamente, é a galinha que costuma colocar todos os pintinhos debaixo de suas asas, mimando-os. E pela expansão emocional do cardinal, é aquela super-mãe que tira força de sabe-deus-onde para erguer um carro no braço ao ver que seu filho está em perigo, debaixo do veículo...


O planeta regente não podia ser outro que não a Lua. Regente da Intuição e das emoções íntimas, este “planeta” é o que possui maior conexão com Câncer. Materno, intimista, profundo, absorto, meditativo e introspectivo.


Se quisermos compreender Câncer comparando-o com o seu oposto/complementar, Capricórnio, teremos uma dialética bem delineada. Câncer está para Capricórnio assim como uma mãe está para um pai. A base está para o topo; a origem está para a meta; o berço está para o reinado; o íntimo está para o social; o rio do vale está para o cume da montanha.


Mas, como magos e bruxas que somos, sabemos que a Astrologia Hermética tem relação com as Oitavas que estamos operando. O Câncer, nas Oitavas Altas é a energia que mencionamos acima. A energia de mãe, de cuidadora, de enfermeira, de zeladora, que cuida e protege aqueles que estão sob sua tutela. E também é aquela que sai na porrada com um urso se ele estiver ameaçando seus filhos.


Nas Oitavas Baixas, por outro lado, faz com que a pessoa se torne muito emotiva, que leva tudo para o lado pessoal, que é ciumenta e possessiva, que mima em demasia seus filhos (prejudicando seu desenvolvimento e transformando-os em “reizinhos”). Ou na pior das Oitavas, é aquele cara que matou a namorada/esposa porque ela se separou dele! Ambos os comportamentos dessa energia são faces diferentes da mesma moeda, da mesma energia.


UM SUPER EMOTIVO E POUCO ATIVO


Em Câncer, a inatividade desvia emotividade da ação sobre as coisas, levando-o em direção à consciência de si mesmo. O Ser se volta para os rios interiores onde a emotividade, particularmente seletiva (sensibilidade extrema para certos acontecimentos, insensibilidade em relação a outros podem ser mais graves) pode sublimar. Mais ou menos introvertido e esquizoide, ele permanece ligado às suas imagens e a um sentimento vivo de si próprio. É comum vê-lo trancar as portas, fechar as persianas e ficar “escondido” em seu mar de emoções. Todavia, essa introspecção não pode servir de desculpas para eximir a si mesmo de sua vida exterior.


O HOMEM DE CÂNCER


Existem dois tipos de cancerianos totalmente opostos. Um é pacífico, simples e calmo; através da mulher, ele se dedica ao ninho. Sua alma está ligada à terra,, à casa, aos móveis, aos preciosos objetos de família e de infância. Fiel e estável, ele vive somente para o lar e precisa de uma convivência íntima, de um ambiente caloroso para descansar a noite, quando chega do trabalho. E tem uma necessidade brutal de partilhar-se com a esposa e filhos. É piegas e ao mesmo tempo um marido bonachão. Tende a se casar cedo e, quando superada a crise da infância, torna-se um adulto paternal, zelador, bondoso, devotado e protetor.


O outro tipo de canceriano, lunar nas alquimias secretas, é nervoso, caprichoso, esquisito e atormentado. Seu coração é um museu imaginário de fechaduras trocadas e chaves desaparecidas. Este segundo não pertence a si mesmo e seu mundo interior é um enigma indecifrável, o que acarreta em sua instabilidade emocional. Dá a impressão de uma criança mimada que se recusou a crescer. Cheio de excessos emocionais e acessos de exaltação, exigências egoístas e em busca de aprovação moral.


A MULHER DE CÂNCER


Quando dominada por muitos planetas em Câncer, a mulher é frequentemente infantil, ingênua e possuidora de um avassalador charme feminino. É romântica que não deseja nada além de uma casinha simples e um marido perfeito. Depois de brincar muito de boneca, torna-se uma mãe coruja. É mais mãe do que esposa e, quando atingida pela frigidez, refugia-se no amor narcísico da criança, exilando-se na terra dos sentimentos pueris. Um passo a mais e ela entra naquilo que Freud chamou de “Complexo de Jocasta”, ou seja, acaba vivendo uma relação apaixonada, obsessiva e ciumenta com o próprio filho.


Quanto às cancerianas harmoniosas, poderá ter grandes paixões e até mesmo o amor profundo das almas gêmeas: às vezes, a intimidade psíquica é tamanha que pode haver comunicação telepática fazendo com que ambos tenham, a distância, as mesmas sensações e as mesmas emoções.


Há dois tipos, portanto de cancerianas. Uma que frequentemente se rebaixa à qualidade de um simples objeto sexual, devido à própria passividade; é submissa, dócil, faz-se desejar e sofre o amor. Em contrapartida, o outro tipo se coloca num plano inacessível e inspira o amor impossível; é de fato, o arquétipo feminino mais profundo e puro, pois desperta no homem a ANIMA, essa imagem do eterno feminino que carrega consigo, no fundo de sua alma e que o faz amar um ser ideal, sagrado e muitas vezes, um tabu.


CÂNCER E OS PLANETAS


Sol em Câncer – Em Essência, os atributos de Câncer encontra o seu estado mais puro.


Ascendente em Câncer – Gosta de se ver com as principais características de Câncer.


Lua em Câncer – Todos os valores maternais e femininos, plásticos e sensíveis convergem neste encontro. Imaginação, fecundidade, sensibilidade, lirismo, poesia. O íntimo lunar se sente à vontade estando nestas condições.


Mercúrio em Câncer – As disposições intelectuais devem, por excelência, passar pelo prisma emocional. Dificilmente consegue pensar de maneira fria e calculista.


Vênus em Câncer – Constitui num mar de sensibilidade, ternura, docilidade, bondade graça e beleza interior. Amor pela natureza, pela vida simples e pela família. Tendência ao lirismo intimista.


Marte em Câncer – Debilidade e decadência. Marte está desarmado aqui. Por vezes, a agressividade e disposição de Marte acaba se voltando contra a própria pessoa, desvirilizando. Uma defesa passiva-agressiva.


Júpiter em Câncer – Dignidade e exaltação. O indivíduo esgota os valores familiares assumindo um papel de “PATER FAMILIAS”, do regente, do responsável do lar, do senhor da casa, afirmando para si as virtudes domésticas.


Saturno em Câncer – A Ruína Saturnina. Saturno se encontra extremamente debilitado em Câncer – em exílio. Resultando numa pessoa triste, reclusa, retraída, solitária e, às vezes, gélida. Um melancólico.


CÂNCER E OS SIGNOS


Câncer e Áries –São tão estranhos um ao outro quanto a água e o fogo. Um recua o outro avança; um é delicado e feminino, o outro, duro e hiper-viril. Não há entendimento.


Câncer e Touro – Simpatizam-se facilmente, embora o sonho canceriano nem sempre se acomode ao realismo instintivo de Touro; entregam-se a uma vida simples e tranquila.


Gêmeos e Câncer –Formam um bom casal, como uma criança e um adolescente. Enquanto o primeiro coopera com o coração, o outro faz com a inteligência; eles se identificam sobretudo no amor pelas mudanças.


Câncer e Leão –São tão diferentes quanto a noite e o dia. A Lua e o Sol (seus regentes). Enquanto um é interior e receptivo, o outro é imponente e espetacular (no sentido de armar um espetáculo); dificilmente se compreendem.


Câncer e Virgem –Encontram-se facilmente um ponto em comum na intimidade, pois ambos têm vida interior, reserva, delicadeza; porém o primeiro é muito sensível e o segundo, muito mental.


Câncer e Libra –São duas naturezas afetuosas, sentimentais, mas a emotividade de ambos possui o mesmo diapasão: o primeiro é muito profundo e o segundo, exteriorizado demais.


Câncer e Escorpião –Se harmonizam por conta de sua profundidade em comum. São dois seres complexos, capazes de uma intimidade onde ninguém mais penetra e onde a paixão pode ser dolorosa, porém estável. São aliados.


Câncer e Sagitário –Possuem poucos pontos em comum, a não ser o possível amor pelas viagens; podem encontrar harmonia no plano moral.


Câncer e Capricórnio –É a oposição irredutível complementar. Uma criança diante de um ancião. Um emotivo diante de uma geladeira. Nas oitavas baixas, coitado do canceriano...


Câncer e Aquário –São duas naturezas imaginativas, uma aquática e a outra aérea; uma relação positiva pode muito bem se desenvolver.


Câncer e Peixes –Apresentam vários pontos em comum. Compreendem-se intuitivamente e comungam um ideal de bondade e caridade; a paixão entre ambos é profunda e duradoura.


Bom é isso. Gostaram? Deem um like, comente e ajude a fortalecer o Portal Ilumina Terra. Na semana que vem, falaremos do Rei Mufasa...

Posts Em Destaque
Veja também
Arquivo
Procurar por tags
Nenhum tag.
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square

© 2020 por Ilumina Terra. Todos os direitos reservados.   Brasil | iluminaterra.contato@gmail.comContato | Política de Privacidade

  • w-facebook
  • White YouTube Icon
  • Google+ - White Circle