ÁRIES, O CARNEIRO DE FOGO!

Olá, Guerreiros da Luz. Todos bem?



Faz um tempo que as pessoas que fazem parte do meu ciclo social pedem para eu fazer posts semanais sobre Astrologia. Eu estava relutante, pois o que mais existe nesse vasto oceano chamado internet é material acerca desse assunto tão intrigante. Mas me convenceram que eu deveria me dedicar mais a escrita, pois tenho formação em Astrologia Hermética, ou seja, a Astrologia que Platão e Pitágoras, Sir. Isaac Newton e muitas outras personalidades estudavam. Sim, estou falando dos Estudos Herméticos que se encontram somente dentro das Ordens Iniciáticas.


Para que o post não fique muito longo, vou começar este assunto não pelo começo. Qualquer dia escrevo sobre as Energias Primordiais que deram origem aos famosos signos que todos conhecemos. Hoje quero ir direto ao ponto.


As pessoas do mundo antigo tinham um contato direto com a natureza. Este contato era o responsável, sobretudo, por sua sobrevivência. Qualquer deslize, qualquer vacilo, qualquer decisão tomada errada era punida com a morte da tribo, do bando. Por isso, para que houvesse a chamada Revolução Agrícola, os antigos tiveram de aprender a observar os padrões de clima que a natureza lhes mostrava. O plantio e a colheita dependiam disso e, portanto sua sobrevivência.


No hemisfério norte, os primeiros agricultores perceberam que aproximadamente no dia 21 de Março (na época, não era essa data, ok?) toda a temperatura fria havia cessado. As flores começavam a brotar, a grama renascia, os animais saíam de suas tocas e o lugar esquentava. Os animais, por sua vez, começavam o período de acasalamento, onde os machos ficavam extremamente agressivos e disputavam entre si a oportunidade de perpetrar a espécie. Havia vida novamente. Ali mais um ano tinha início!

E como sempre analisamos nossas vidas do ponto de vista econômico, agora que o inverno rigoroso havia passado, os pastores podiam tosquiar suas cabras felpudas para fabricar a lã e, mais tarde, no outono, comercializar as vestes. Tosquiar as cabras e carneiros era a maior atividade humana desse período. E assim surgiu Áries, o Carneiro e a energia dinâmica primaveril foi também transferida para o símbolo nesse período.

Como os dias passariam a ser mais longos, portanto mais quentes, o Fogo foi associado com essa época do ano no inconsciente coletivo das tribos primevas. Tudo que se refere a Fogo significa expansão, avanço, ir para frente, movimento e dinamismo.


Do ponto de vista do Hermetismo, o elemento Fogo significa Vontade. Essa Vontade é retratada pela fagulha divina existente em todos os seres, a energia que nos movimenta, ou seja, a Força Motriz do avanço. Seu hieróglifo rudimentar e alquímico é um triângulo perfeito, representando uma fogueira. O Fogo Primordial também se subdivide e se relaciona com os outros Três Elementos, desdobrando-se nas Qualidades Elementais.

Nos textos alquímicos antigos, já é sabido que possuímos três corpos fundamentais que nos faz de nós, humanos, a imagem e semelhança do Criador. Estes são: Corpo, Mente e Espírito, como mostrado na figura ao lado, no caduceu de Hermes Trimegistus.

Debaixo para cima, entre o caduceu, temos o desdobramento das duas serpentes entrelaçadas formando três esferas. A primeira esfera, da base, é o nosso corpo, formada pelo Elemento Terra (Fixo), o mais denso dos nossos corpos. A esfera do meio representa a nossa Mente (Mutável) que é formada pelo Elemento Ar (Razão) e Água (Emoção). Por fim, a maior, mais sutil, mais elevada e, portanto, mais próxima das Asas de Hermes é o nosso Espírito (Cardinal) representado pelo elemento Fogo (Vontade).

Assim, temos Quatro Elementos (Fogo, Água, Ar e Terra) e Três Corpos ou Qualidades (Cardinal, Fixo e Mutável). Essas qualidades e elementos, intercalando entre si é que dá origem aos signos como conhecemos. (4x3 =12). Falarei mais a respeito em posts futuros. Voltemos ao Fogo Cardinal.


Assim como a energia da Primavera é a do Fogo Cardinal, ou seja a Vontade (Fogo) dentro do Espírito (Cardinal), Áries vai carregar esta disposição dentro de si e pessoas com signos de fogo, também. São mais agressivas, impetuosas, enérgicas e líderes, pois avançam sem esperar o comando de um superior. São as pessoas mais dinâmicas e os líderes natos do zodíaco. Quanto mais Fogo existe no Mapa Natal de uma pessoa, maior a tendência para o dinamismo, para o avanço, o improviso e o empreendedorismo.


Assim como os carneiros atacam dando cabeçadas, pessoas que possuem muitos planetas com a energia da Vontade do Espírito tendem a mergulhar de cabeça nas coisas que iniciam. São excelentes empreendedores e iniciadores, mas têm problemas em terminar aquilo que começaram. “Fogo de Palha” é a expressão mais exata para pessoas com essa disposição.


O Planeta Regente (ou Esfera Dominante) de Áries não podia ser ninguém menos que a Guerra. Marte para os romanos, Ares para os gregos, HA para os egípcios, Marduk para os sumérios, Kama no oriente e Geburah para os Cabalistas. Esse planeta é o mais controverso dos sete planetas alquímicos, pois este detém a Força Catabólica, o dinamismo e a ferocidade para dar significado à Áries.



Quando a pessoa tem Marte em Áries, todas as características do Fogo Cardinal em Yang são exploradas ao máximo, fazendo a pessoa mais dinâmica e agressiva ainda – acaba virando o Rei Leônidas de Esparta, simbolicamente. Mas, como Magos e Bruxas que somos, sabemos que tudo isso opera, segundo as Oitavas que estamos atuando. Nas Oitavas Baixas, temos o treteiro, o encrenqueiro, o briguento, o rebelde sem causa. Nas Oitavas Altas temos os proativos, os líderes, as pessoas ágeis, os corredores de 100 metros rasos. E nas Oitavas Elevadas temos os maiores líderes das maiores empresas, os grandes empreendedores e pessoas que nos inspiram como modelos de liderança.



Existe, portanto, um grupo de tendências conexas que figuram em um complexo simbólico formado por Áries, Marte, Sol e Casa I que o astrólogo deve decifrar. Em compensação, a força e a pureza de Áries podem ser alteradas de forma marcante pelos planetas que são de natureza oposta à sua, quando eles dominam. Tais são os casos de Vênus/Netzach, que tem seu lugar de exílio em Áries (fica desvirilizado e o feminiza), e de Saturno, em queda neste signo (ele o inibe, destrói sua espontaneidade, o paralisa).


A força desse signo está justamente na espontaneidade que mantém o tipo de Áries em um estado constante de frescor e renovação. Toda sua força está em seu dinamismo, frequentemente sentido como uma mola pronta para saltar, em sua fé de criança pura, em seu élan juvenil, fonte de todas as suas inspirações e generosidades.

O perfil de fraqueza, por outro lado, é tão claro quanto o de sua força. Ela está na tendência da ilusão, em temeridade, em suas imprudências, em sua faceta de arriscar tudo. Esse traço está ligado à capacidade de arrebatamento, de exaltação fácil e rápida, que o faz perder todo sendo de medida, conduzindo-o a cabeçadas, a atos irrefletidos, a gestos exaltados e violentos, que lamenta pouco depois. Deve, portanto, controlar seu ímpeto de agir sem reflexão.


O HOMEM DE ÁRIES


O jogo amoroso nas Oitavas Baixas de Áries nos lembra que para o homem primitivo a mulher deveria ser dominada e submetida ao seu desejo sexual de acordo com a seguinte fórmula: “a mulher é a recompensa do guerreiro”. Nas Oitavas Altas, este deseja ser algum tipo de herói para sua parceira; pensa que ela lhe dá ocasião, de quando em quando, de realizar uma grande ação. Por isso ele a amará se se sentir nobre aos olhos da companheira.


A MULHER DE ÁRIES


Esta tende a submeter igualmente ao amor a uma relação de forças. Caso não se abstenha das ásperas alegrias do amor, colocar-se o seguinte dilema: “entrar em concorrência com o homem ou cooperar com ele?”. É a mulher indomável e, no casal, prefere dominar. E consegue facilmente caso ela escolha um homem mais gentil, que fuja dos conflitos e que a obedeça sem restrições. Somente se submeterá se seu companheiro for uma pessoa realmente superior em termos de força e grandeza.


ÁRIES E OS SIGNOS


Áries e Touro não têm pontos em comuns e são estranho um ao outro; mas podem ser muito úteis reciprocamente.

Áries e Gêmeos se simpatizam de imediato e se renovam constantemente nos contatos que estabelecem.

Áries e Câncer são tão estranhos um ao outro como o fogo e a água; um avança, o outro recua; um é duro, o outro delicado... Entendimento difícil.

Áries e Leão conjugam seu dinamismo na afirmação de uma vontade que um impõe e o outro realiza.

Áries e Virgem dificilmente conseguem manter um diálogo; compreendem-se apenas em situações em que haja a pressão da necessidade.

Áries e Libra possuem naturezas opostas, porém complementares; podem machucar-se, chocar-se, mas também atrair-se e formar um casal notável.

Áries e Escorpião não deixam de se ferir confrontando suas próprias agressividades, mas podem também encontrar um ponto de entendimento quando têm um objetivo ou um trabalho em comum, comportando-se um pouco como cúmplices.

Áries e Sagitário entendem-se muito bem, o primeiro sendo pacificado pelo segundo e este dinamizado por aquele.

Áries e Capricórnio: um encontro de um calor intenso e um frio concentrado; o diálogo não é nada fácil e o conflito inevitável.

Áries e Aquário se unem na direção do futuro, especialmente em direção à esperança.

Áries e Peixes não apresentam pontos em comum e dificilmente se entendem sobre os grandes problemas.


Naturalmente que essas indicações têm apenas valor genérico; somente uma confrontação detalhada dos dois Mapas Natais envolvidos podem conduzir a uma análise mais precisa.

PERSONALIDADES ARIANAS QUE REPRESENTAM BEM O DINAMISMO DO SIGNO.


Louis Armstrong (trompetista de improvisação); Charles Baudelaire (escritor revoltado); Jean-Paul Belmondo (impulsivo, arrebatado, temerário e descontraído cineasta); Bismarck (o chanceler de ferro, servidor rude, fundador do império alemão); Marlon Brando (ator de intensidade de expressão); Charlie Chaplin (em “Tempos Modernos” mostra a si mesmo em seu estado bruto);

Albert Einstein (físico audacioso que contestava as nações sacrossantas); Goya (pintor com gosto pela voluptuosidade); Arthur Honegger (músico de intensidade ariana); Nikita Kruschev (chefe de estado russo, um falador impenitente); Lênin (dinamismo revolucionário da própria causa); Luís XV (rei da França. Tom do signo desafinado); Napoleão III (audacioso e temerário). São apenas alguns exemplos.


Na semana que vem, falaremos do Gnomo do Zodíaco, Touro. Suas principais características, inclinações, suas preferências e aspirações.


AUGUSTO ANDRADE

Facilitador Hermético e Ponto.

Posts Em Destaque